Presidente diz que oposição quer tornar mais difíceis benefícios sociais, como o bolsa família

Rumores do encerramento de benefícios sociais como o bolsa família, vem circulando desde que o governo de Bolsonaro iniciou o seu mandato. No entanto, o próprio presidente esclareceu que não pretendia encerrar o benefício.

Apesar das declarações positivas dadas pelo presidente Bolsonaro, felizmente os acontecimentos recentes tem deixado a oposição com muitos “porquês” para espalhar e defender a ideia de que Bolsonaro realmente não deseja manter os benefícios sociais.

Segundo o próprio presidente, a oposição está fazendo mais do que apenas verbalizar os seus pensamentos, mas sim está “trabalhando para inviabilizar” os pagamentos de benefícios sociais importantes no sustento das famílias de baixa renda.

Essa conclusão foi tornada pública no Twitter do presidente Bolsonaro, onde ele compartilha uma publicação do deputado Carlos Zarattini do PT que comemora depois de ter obstruindo o projeto que pretendia garantir autorização para a entrega de um crédito suplementar ao governo no valor de R$ 248,9 bilhões.

A défice do governo em dispor desse valor deve se ao fato da arrecadação feita pelo estado estar mais baixa do que havia se previsto no início do ano.
Com este valor o governo quer fazer o pagamento dos benefícios sociais e outras despesas do estado que são pertinentes no funcionamento da economia brasileira.

Lembrando que o governo em si não pode simplesmente seguir com o levantamento dessa quantia necessária para o funcionamento da máquina do estado, pois se assim o fizesse, estaria quebrando a regra de ouro que impede a contração de dividas para o cobrimento de despesas do estado.
Sendo assim, torna-se necessário que a equipe econômica obtenha uma autorização do governo para poder seguir com a aquisição deste valor sem necessariamente desrespeitar a regra de ouro.

Contratempos na aprovação do crédito

Devido à falta de votos suficientes para a aprovação do crédito, a comissão mista de orçamento (CMO) cancelou a votação do projeto lei que abriria espaço para a disponibilização deste crédito ao governo.

No entanto, isso não fecha de vez as portas para o crédito, uma vez que o presidente da CMO, senador Marcelo Castro (MDB-PI), marcou novamente a votação para o dia 9 de junho. A remarcação deste evento em tão próximo espaço de tempo deve-se principalmente à natureza “urgente” deste assunto no Planalto do Congresso.

Se o crédito não for aprovado, diversos benefícios sociais poderão ficar comprometidos bem em breve, com destaque para o Benefício de Prestação Continuada (BPC), que passa a depender do valor deste crédito já no próximo mês de julho para poder seguir com o pagamento do auxílio dos seus beneficiários.

Salientando também que no caso especifico do Plano Safra, o cronograma governamental já se encontra atrasado justamente por conta da demora na aprovação do crédito.

Se a aprovação continuar nesse estado de espera que só se prolonga cada vez mais por conta da falta de votos, infelizmente benefícios básicos e importantíssimos para os cidadãos brasileiros mais carenciados poderão ser lesados, como é o caso do bolsa família.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply